2017-11-08
Guia de Instalação da Sinalização Everlux
Este guia tem como objetivo dar uma orientação para uma correta aplicação da sinalização, garantindo a qualidade e diminuindo o tempo de instalação, evitando retrabalho. Nele são encontradas instruções com fotos ilustrativas para todos os produtos que compõem o sistema de sinalização da Everlux bem como as ferramentas necessárias.
2017-11-08
Guia de Instalação da Sinalização Everlux

Este guia tem como objetivo dar uma orientação para uma correta aplicação da sinalização, garantindo a qualidade e diminuindo o tempo de instalação, evitando retrabalho. Nele são encontradas instruções com fotos ilustrativas para todos os produtos que compõem o sistema de sinalização da Everlux bem como as ferramentas necessárias.

Com base na experiência acumulada ao longo dos mais de 25 anos de fabricação de sinalização de segurança fotoluminescente, alguns alertas são também antecipados para prevenir e eliminar imprevistos que tendem a acontecer durante as primeiras instalações.

A qualidade de um sistema de sinalização de segurança completo é composta pelo produto propriamente dito mas também pela eficácia da sua instalação, em adequação às normas e leis vigentes, motivo pelo qual este guia foi complementado e atualizado.

Para baixar o guia de instalação da sinalização Everlux, clicar aqui.



2017-06-01
Lâminas fotoluminescentes: Muito mais que simples demarcação
A sinalização ao nível do solo é muito mais do que organização do ambiente (demarcação de mesas, armários, máquinas e demais obstáculos). A sua principal função é prevenir o usuário da completa obstrução de informações sobre a rota de fuga e/ou equipamentos de combate a incêndio, causada pela presença de fumaça. Além de elevar o risco de morte por asfixia e intoxicação, a fumaça tende a ocultar a sinalização de nível superior (1,8m do piso acabado). A sinalização ao nível do solo, por ser instalada diretamente no pavimento, garante que mesmo na presença de fumaça as rotas de saída permanecerão visíveis.
2017-06-01
Lâminas fotoluminescentes: Muito mais que simples demarcação

A sinalização ao nível do solo é muito mais do que organização do ambiente (demarcação de mesas, armários, máquinas e demais obstáculos). A sua principal função é prevenir o usuário da completa obstrução de informações sobre a rota de fuga e/ou equipamentos de combate a incêndio, causada pela presença de fumaça. Além de elevar o risco de morte por asfixia e intoxicação, a fumaça tende a ocultar a sinalização de nível superior (1,8m do piso acabado). A sinalização ao nível do solo, por ser instalada diretamente no pavimento, garante que mesmo na presença de fumaça as rotas de saída permanecerão visíveis.

Mas serem fotoluminescentes não chega!
Por serem instalados no solo, os sinais devem garantir resistência ao desgaste e características antiderrapantes.

Garantias das lâminas para instalação direta no pavimento

A credibilidade dos produtos está fundamentalmente associada às referências normativas utilizadas na sua fabricação e desenvolvimento. Por isso, além do desempenho fotoluminescente que a norma NBR13434 recomenda, os produtos para instalação direta no solo devem adicionalmente garantir resistência ao desgaste (porque pessoas vão caminhar por cima) e serem antiderrapantes (para evitar que as pessoas escorreguem).

Resistência ao deslizamento (escorregamento)

Basicamente as rotas de saída representam obstáculos e por vezes desníveis que se mostram verdadeiras ameaças aos usuários de uma edificação. Os sinais de nível superior até podem alertar mas, em situações de pânico, não previnem deslizes e quedas uma vez que o incidente está associado a uma série de variáveis tais como condições de umidade do solo e níveis de atenção e visibilidade.

Coeficiente estático de fricção (atrito)
A Everlux realizou vários testes para garantir que as suas lâminas de policarbonato possuem um atrito superior ao recomendado por várias normas internacionais:

  •   De acordo com a norma internacional ISO 10545-17, as lâminas de policarbonato da Everlux possuem um coeficiente de atrito de 0,59 que é considerado um atrito satisfatório para locais onde se requer resistência ao escorregamento.

  •  De acordo com a norma americana ASTM C 1028, que mede o coeficiente de atrito estático, as lâminas de policarbonato da Everlux possuem um coeficiente de atrito de 0,76 em ambiente seco e 0,71 em ambiente molhado o que as caracteriza como um produto antideslizante para ambos os ambientes. A Occupational Safety and Health Administration (OSHA) prescreve como coeficientes de atrito mínimo 0,5 para ambiente secos e 0,6 para ambiente molhados. A United States Access Board recomenda um atrito mínimo de 0,6 para ambientes secos e molhados, na sequência da promulgação da lei dos Americanos com Deficiência (ADA).

  •  De acordo com a norma alemã DIN 51130: 2004 as lâminas de policarbonato da Everlux possuem uma classificação (R10) que significa um produto seguro para aplicação nos pavimentos de cozinhas comerciais, hotéis, salas de exposição e vendas, estabelecimentos comerciais, banheiros, lavabos, vestiários, lavanderias, armazéns, estacionamentos, escolas, serviços de saúde (laboratórios, consultórios, farmácias, salas de espera) e locais similares.

Resistência à abrasão (desgaste)

Os revestimentos de pavimentos de forma geral são expostos a desgaste devido a partículas de poeira e sujeiras trazidas nas solas dos sapatos de seus usuários, dependendo por isso a longevidade dos produtos à sua resistência a tal desgaste.

Classe de resistência ao desgaste

De acordo com a norma internacional ISO 10545-7: 2000, as lâminas de policarbonato da Everlux possuem uma classificação de PEI IV (Porcelain Enamel Institute – classe 4). Essa classificação representa que as lâminas são seguras para locais sujeitos a movimentação regular de máquinas e pedestres com algumas poeiras abrasivas, tais como entradas em geral, cozinhas, espaços comerciais, hotéis, salas de exposição e vendas e similares.

Lâminas Everlux

As lâminas autoadesivas fotoluminescentes da Everlux são consideradas produtos antiderrapantes e seguros tanto para pavimentos de ambientes secos como molhados e apresentam uma alta resistência ao desgaste provocado pelo tráfego de pessoas e movimentação de objetos.
As características técnicas, certificados e ensaios referidos estão disponíveis para comprovar o total atendimentos das lâminas de policarbonato da Everlux face ao seu desempenho fotoluminescente (norma e legislação brasileira) mas também, e adicionalmente, face às suas características de antideslizamento e desgaste (normas internacionais).
Certifique-se sempre de que o material que pretende adquirir cumpre os requisitos mínimos de segurança, evitando o agravamento de acidentes e guiar de forma segura o usuário até à saída final.

Conte com a Everlux para esclarecimento de quaisquer dúvidas.

2016-11-30
Existe tamanho padrão para o sinal de extintor?
Não existe tamanho padrão para os sinais de equipamentos de combate a incêndio e rotas de saída!
2016-11-30
Existe tamanho padrão para o sinal de extintor?
Qual o tamanho normal para um sinal de extintor?

Não existe tamanho padrão para os sinais de equipamentos de combate a incêndio e rotas de saída!
Sempre que pretendermos sinalizar um extintor, a pergunta que devemos fazer é:
- "Qual a distância máxima a que devemos visualizar o sinal?”
Após termos resposta a esta pergunta, então escolhemos o tamanho adequado para o sinal.

A norma brasileira ABNT NBR 13434-2, indica a fórmula para cálculo da medida dos sinais em função da distância a que devem ser observados* e tem também incluída uma tabela com alguns cálculos. Por exemplo um sinal quadrado com uma largura de 134mm (134x134mm) permite uma distância de observação até os 6m**.
Devemos notar que essa tabela da norma é apenas para ter como exemplo de cálculo e não como uma obrigação. Simplificando, não são necessariamente essas as medidas que devem ser utilizadas dado que normalmente as medidas comerciais são diferentes porque são dimensionadas para reduzir desperdícios, barateando dessa maneira o custo dos sinais.
Ademais, o objetivo de qualquer norma é garantir um nível mínimo de qualidade, o que quer dizer que acima desse mínimo pode ser utilizado qualquer valor. No caso das medidas comercializadas pela Everlux, para garantir uma distância de observação de 6 metros a um sinal quadrado de extintor, a medida mínima deve ser de 150x150mm (ver página 15 do catálogo Everlux), podendo também ser utilizada qualquer outra medida superior.

Por isso, sempre que lhe falarem de medidas de sinais padrão ou mínimas sem levar em consideração a distância de observação, desconfie!

Envie-nos as suas dúvidas ou sugestões para o email comercial@everlux.com.br ou contate-nos através do telefone (11) 4035 6262.
Não se esqueça, ao adquirir sinais exija sempre uma cópia da certificação e não se deixe enganar pelos laudos!

_______

*
  - Área do sinal (A, em metros quadrados), deve ser maior que a sua distância de observação (L, em metros) elevada ao quadrado e dividida por 2000 (ver página 2 da norma brasileira ABNT NBR 13434-2: 2004).

** ver página 3 da norma brasileira ABNT NBR 13434-2: 2004.

2016-09-21
A urgência para a vistoria do Bombeiro!
Habitualmente, e não só no Brasil, os pedidos de sinalização de segurança são revestidos de extrema urgência na entrega porque a vistoria dos bombeiros é para muito breve, normalmente no dia seguinte. Nada de extraordinário para a Everlux que está sempre pronta para uma rápida resposta.
2016-09-21
A urgência para a vistoria do Bombeiro!

Habitualmente, e não só no Brasil, os pedidos de sinalização de segurança são revestidos de extrema urgência na entrega porque a vistoria dos bombeiros é para muito breve, normalmente no dia seguinte. Nada de extraordinário para a Everlux que está sempre pronta para uma rápida resposta.

O real problema que está por detrás dessa urgência é que todos os envolvidos são levados a pensar que a sinalização é apenas um capricho momentâneo e que depois da vistoria já não interessa. Nada mais equivocado; o objetivo da sinalização de segurança é salvar vidas!

Por este motivo, há grande interesse das entidades regulamentadoras em desmistificar a crença equivocada "do momento da vistoria” e passar a importância muito para além desse momento, ou seja, durante a utilização do espaço. Dessa forma o projeto de atualização da norma (ABNT NBR 13434) prevê que os sistemas de sinalização de segurança sejam inspecionados regularmente e que seja feito o registro de necessidades de limpeza e faltas de sinalização.

Mas, como registrar as faltas de sinalização se não houver um projeto de execução da sinalização de segurança?
Saberemos onde os sinais estavam instalados no momento da vistoria? Será que caíram alguns sinais?

Para responder a estas questões, e fazer face à futura nova norma, o ideal será haver um projeto completo de execução onde constará a localização, tipo e medida da sinalização instalada e vistoriada pelo bombeiro. Dessa maneira, quando for realizada a inspeção, todas as faltas de sinalização poderão ser constatadas e documentadas para posterior reposição.

O software Everlux-project proporciona a execução desse tipo de projeto.




Envie-nos as suas dúvidas ou sugestões para o email comercial@everlux.com.br ou contate-nos através do telefone (11) 4035 6262


2016-08-23
Obrigatoriedade da Sinalização de agente extintor
Sabe porque não devemos utilizar um sinal que identifique simultaneamente a localização do extintor e do respectivo agente extintor?
2016-08-23
Obrigatoriedade da Sinalização de agente extintor

A Everlux sempre defendeu a separação entre sinalização de nível superior e nível intermediário: a sinalização instalada ao nível superior (acima de 1,8m), deve ser visualizada por todos os usuários de um espaço, enquanto a de nível intermediário é para visualização de uma única pessoa – o utilizador de determinado equipamento. Naturalmente, por suas características funcionais, não se deve misturar os dois conceitos.

É fácil argumentar que fica menos onerosa a aquisição de um sinal que contenha os dois conceitos, como por exemplo o sinal de extintor e agente extintor.


Porque não devemos utilizar um sinal que identifique simultaneamente a localização do extintor e do respectivo agente extintor?

Simplesmente porque não permite que a sinalização cumpra a sua função: ser visível por todos os usuários de um mesmo espaço e ao mesmo tempo ser interpretada pelo utilizador do extintor. A sinalização de nível superior deve garantir uma comunicação rápida e intuitiva e, pelo contrário, a sinalização de nível intermediário deve ser interpretada, ou seja, contém informações complementares que necessitam de leitura ou associação de símbolos para a sua interpretação.

A importância de informar o conteúdo do extintor (agente extintor) é justamente instruir o usuário quanto ao tipo de foco de incêndio contra o qual o equipamento deve ser utilizado, prevenindo inclusive o agravamento do incidente. Por esse motivo, a revisão da norma ABNT NBR 13434, em fase de finalização, prevê a instalação do sinal de agente extintor imediatamente acima do equipamento (10cm a 15cm) e o sinal de extintor a uma altura mínima de 1,8m do pavimento.


O sinal de agente extintor pode inclusivamente permitir a identificação do número do extintor, como exemplificado nas fotos, evitando trocas de extintores, potencialmente perigosas, após as ações de manutenção.

Envie-nos as suas dúvidas ou sugestões para o e-mail comercial@everlux.com.br ou contate-nos através do telefone (11) 4035 6262.

Não se esqueça, ao adquirir sinais exija sempre uma cópia da certificação e não se deixe enganar pelos laudos!


2016-06-16
O fotoluminescente na sinalização de segurança
fotoluminescência é o processo através do qual uma substância absorve fotons (energia electromagnética) e depois os emite no escuro.
2016-06-16
O fotoluminescente na sinalização de segurança

A fotoluminescência é o processo através do qual uma substância absorve fotons (energia electromagnética) e depois os emite no escuro. De uma forma mais simples: ser fotoluminescente é ter a capacidade de absorver energia e brilhar no escuro!

Desde o início do séc. XVII, altura em que Vincenzo Casciarolo descobriu o "fósforo de Bolonha”, que as propriedades fotoluminescentes dos materiais vão sendo estudadas. No final do séc. XVII Hennig Brand isola pela primeira vez o elemento químico "fósforo”, responsável pelo brilho dos materiais, possibilitando o contínuo desenvolvimento do estudo da luminescência e respectivas aplicações, como no caso da sinalização de segurança.

Os sinais da Everlux são evidência dessa evolução sendo atualmente compostos por aluminatos alcalino-terrosos, isentos de fósforo e sem qualquer tipo de substância radiativa.

O efeito fotoluminescente na sinalização de segurança é extremamente importante dado que em caso de falha da força ou propagação de fumaça é fundamental para os ocupantes conseguirem deslocar-se para as rotas de saída corretas. A sinalização de segurança fotoluminescente, porque é visível no escuro, garante a correta identificação das rotas de saída bem como a localização de equipamentos de combate a incêndio em todas as situações.

Os requisitos normativos e legislativos existentes a nível mundial são essenciais no desenvolvimento dos produtos da Everlux. Estando em rigoroso cumprimento com as diferentes normas internacionais, nomeadamente a norma brasileira da ABNT NBR 13434, partes 1, 2 e 3, os valores de luminância e período de atenuação garantem um desempenho eficaz em situações de emergência.

Para garantir o bom desempenho da sinalização fotoluminescente a Everlux possui laboratório de qualidade próprio onde todos os lotes fabricados são testados. Além disso, os produtos da Everlux possuem certificado de qualidade, válido internacionalmente, e o próprio laboratório de qualidade é acreditado.

A norma nacional ABNT NBR 13434, parte 3 e diversas legislações estaduais referem como compulsória a marcação dos sinais com o seu desempenho, normalmente no canto inferior direito dos sinais, contendo 3 indicadores:
  • (1) valor da intensidade luminosa aos 10 minutos após a extinção das fontes de luz;
  • (2) valor da intensidade luminosa aos 60 minutos após a extinção das fontes de luz;
  • (3) período de atenuação (autonomia) dos sinais - tempo em que os sinais permanecem visíveis no escuro.




Além desses 3 indicadores é também exigido o nome do fabricante ou marca ou CNPJ e os códigos de cor durante o período de estimulação (recebendo luz) e autonomia (brilhando no escuro) do sinal.

E não se esqueça: Sempre que adquirir sinais de segurança fotoluminescentes exija a certificação!
2016-03-03
Everlux e sustentabilidade!
A Everlux é uma marca de sinalização fotoluminescente, ou seja, um produto que brilha no escuro sem necessidade de energia elétrica. Este é um elemento, por si só, altamente diferenciador em termos de sustentabilidade porque não gasta energia.
2016-03-03
Everlux e sustentabilidade!
A Everlux é uma marca de sinalização fotoluminescente, ou seja, um produto que brilha no escuro sem necessidade de energia elétrica. Este é um elemento, por si só, altamente diferenciador em termos de sustentabilidade porque não gasta energia.

Os produtos Everlux são constituídos por uma base de PVC e um revestimento fotoluminescente composto por uma mistura de resinas, tintas e pigmentos fotoluminescentes.

A Everlux recorre a laboratórios reconhecidos para testar os seus produtos quanto à toxicidade através de ensaios segundo a norma EN 71-3. Este ensaio simula o contato do produto com a boca e com o tato. Os produtos Everlux estão em conformidade com a norma, sendo por isso completamente seguros em termos de toxicidade.

Sendo um produto seguro, quais os conselhos para uma melhor sustentabilidade?

Aumento do ciclo de vida
Os materiais que constituem os sinais da Everlux têm um ciclo de vida longo. Isto quer dizer que, com uma instalação e manutenção adequadas, desempenharão a sua função por elevado período de tempo, motivo pelo qual a Everlux oferece uma garantia de 5 anos.A
forma correta de instalar os sinais poderá ser encontrada no documento "Guia de instalação dos sinais”, em downloads na página de internet www.everlux.com.br. A manutenção dos sinais deverá ser feita de acordo com os documentos "Fichas técnicas”, sendo estas também encontradas na mesma página de internet.

Descarte
Se por algum motivo o sinal já não está em condições e é necessário o seu descarte, basta colocá-lo na lixeira da separação de resíduos junto com os produtos plásticos.

Como a Everlux faz a separação dos seus resíduos industriais?

Os resíduos que a Everlux produz são aparas de PVC fotoluminescente, restos de tintas e vernizes.
Estes resíduos são tratados de forma diferenciada atendendo à sua natureza e nível de perigosidade para o ambiente. Assim os resíduos de aparas de PVC fotoluminescente são recolhidos por empresa certificada para posterior tratamento e valorização, por exemplo na utilização para a fabricação de tubulações. A valorização destes resíduos e a sua transformação em novos materiais permite poupar recursos naturais.
As lamas industriais (mistura de água, tintas e vernizes) são separadas, armazenadas em depósitos específicos, recolhidas e tratadas por empresas certificadas pela CETESB que asseguram o seu correto encaminhamento e eliminação. Em cada recolha deste resíduo, o nível de poluentes é medido e comparado com padrões normais.

A Everlux vem fazendo contínuos investimentos em tecnologia para obter um processo de produção limpo sem qualquer tipo de agressão ao meio ambiente. Por exemplo, na sua planta Brasileira nunca utilizou tintas à base de solventes, o que significa um ambiente de trabalho mais saudável e seguro para os seus colaboradores.

Everlux, empresa consciente e produto sustentável!
2016-01-04
Everlux – Autonomia dos sinais
Por quantas horas a sinalização de segurança deve ficar visível? A parte 3 da norma ABNT NBR 13434 refere que o desempenho mínimo da sinalização básica seja de 140/ 20 – 1800 – K - W. Isto quer dizer que:
2016-01-04
Everlux – Autonomia dos sinais

Por quantas horas a sinalização de segurança deve ficar visível?

A parte 3 da norma ABNT NBR 13434 refere que o desempenho mínimo da sinalização básica seja de 140/ 20 – 1800 – K - W. Isto quer dizer que:

  • 10 minutos depois de apagar a luz, os sinais devem ter um brilho mínimo de 140mcd/m2 (milicandelas por metro quadrado);
  • 60 minutos depois de apagar a luz, os sinais devem ter um brilho mínimo de 20mcd/m2
  • Os sinais devem permanecer visíveis no escuro (tempo de atenuação) por um tempo mínimo de 1800 minutos.
  • K e W são códigos de cor referentes aos períodos em que o sinal está recebendo luz e no escuro.

Assim, para que um sinal esteja de acordo com a norma, e com as legislações vigentes, deve cumprir todos esses requisitos e não apenas o tempo de atenuação!

Não basta que o sinal esteja visível por 1.800 minutos para que cumpra a norma; deve também possuir um brilho superior a 140mcd/m2 aos 10 minutos e 20mcd/m2 aos 60 minutos. Adicionalmente, estas informações devem estar inscritas no próprio sinal.

Com o aumento da conscientização e, infelizmente, após alguns incidentes, o mercado está se atentando quanto a estes requisitos e a importância deles, afinal esta é a única forma de ter conhecimento dos produtos que estão sendo adquiridos, sabendo também que com produtos que cumprem integralmente a norma não haverão complicações no futuro devido ao mau desempenho da sinalização.

Com esta identificação o fabricante assume toda a responsabilidade pela qualidade e desempenho da sinalização.

Os produtos Everlux têm um desempenho mínimo superior às exigências da ABNT NBR 13434-3, tendo: 170 / 22,5 – 2250 – K – W.

Além da informação do desempenho dos sinais impressa nos mesmos, a Everlux possui certificação do processo de fabricação, garantindo a uniformização da qualidade e atendimento à norma de todos os sinais comercializados.


2015-11-25
Everlux no Museu do Amanhã
De onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? E como queremos ir?
2015-11-25
Everlux no Museu do Amanhã
De onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? E como queremos ir?

Este é o Museu do Amanhã. Um espaço para estimular a imaginação de possibilidades, aplicando dados e recursos da ciência para uma experiência cultural, política e ética para a construção de um mundo melhor.

Também a Everlux tem perfeita consciência do que é, do que representa e onde pretende chegar. Foi este alinhamento que permitiu que a Everlux, a maior especialista em sinalização de emergência fotoluminescente do Brasil, fosse eleita para fornecer sinalização de mais elevada tecnologia - Excellence by Everlux - para o museu mais tecnológico do Brasil.

Uma parceria do futuro com a alta tecnologia do presente, Excellence by Everlux.

2015-11-02
Os sinais devem ter o CNPJ?
2015-11-02
Os sinais devem ter o CNPJ?
Será obrigatório utilizar o CNPJ da empresa na rotulagem dos Sinais de Emergência?

A sinalização de segurança fotoluminescente tem como finalidade a redução do risco de ocorrência de incêndio, alertando para os riscos existentes, e garantir que, em uma situação de emergência, seja facilitada a localização dos equipamentos de combate a incêndio e que as pessoas sejam orientados às rotas de saída para o abandono seguro da edificação.

De acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT NBR 13434 - parte 3, todos os elementos de sinalização devem ser identificados, de forma legível na face exposta, com a identificação do fabricante, sendo: ou o nome do fabricante ou a marca registrada ou o número do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

Então porque a Everlux não utiliza o CNPJ na rotulagem de seus sinais?

A Everlux acredita que, por trás de uma sinalização de emergência, há uma enorme responsabilidade envolvida, pois é através dessa sinalização que as pessoas irão se guiar para uma evacuação de emergência. Portanto, ao imprimir nossa marca registrada nos sinais, fornecemos ao usuário importantes informações para identificar um produto de uma empresa de credibilidade mundial, trazendo ao usuário a certeza e a garantia de ter adquirido um produto de qualidade.

A marcação de um sinal simplesmente através de um CNPJ é algo que dificulta a identificação do fabricante. Além disso, uma empresa pode encerrar suas atividades com um CNPJ, que estava impresso nos sinais, e reiniciar a comercialização com um outro CNPJ tornando-se muitas vezes impossível identificar e responsabilizar um fabricante pelo mal desempenho e qualidade de seus produtos.
É pensando nisso que a Everlux utiliza sua marca registrada. Os produtos Everlux possuem certificação de produção, não um simples laudo, e atendem a todos os requisitos exigidos pela Norma Brasileira ABNT NBR 13434-3, trazendo para si toda responsabilidade de seus produtos.

Por alguma desinformação alguns parceiros nos têm referido que lhes está sendo exigida a marcação dos sinais com o CNPJ. No caso dos produtos da Everlux, porque já têm a marcação com a marca registrada, essa exigência não tem fundamento legal ou normativo.

A Everlux não se esconde atrás de um CNPJ!
2015-07-15
Itaipu Binacional
A central hidrelétrica “Itaipú Binacional” é a maior barragem do mundo
2015-07-15
Itaipu Binacional
Obra: Itaipu Binacional – Central hidroelétrica
Dono de Obra: Itaipu Binacional
Revendedor: Lupa
Ano:2010 e 2013
Produto Everlux: Everlux, Everlux LLL

A central hidrelétrica "Itaipú Binacional” é a maior barragem do mundo em energia produzida, tendo vindo a bater recordes sucessivos ao longo dos vários anos, o que lhe permite suprir 17,3% das necessidades de energia do Brasil e 72,5% do Paraguai.
Possui 20 unidades geradoras que lhe permitem uma capacidade instalada de geração de energia de 14,000 MW. Tem um volume de água máximo normal de 29 bilhões de m³ numa extensão de 1.350 km².
Até 2006 era a maior barragem do mundo em dimensão, sendo hoje a segunda, perdendo apenas para a barragem Três Gargantas na China.
Os trabalhos de construção da barragem iniciaram-se em 1974 sendo que o início de produção de energia da central se deu apenas em maio de 1984. A barragem tem uma extensão de quase 8km e uma altura de 196m, o equivalente a um prédio de 65 andares. Foram necessários 12,3 milhões de m3 de concreto e o ferro e aço utilizados permitiriam a construção de 380 Torres Eiffel.

A barragem fica localizada no leito do rio Paraná, fronteira entre Brasil e Paraguai e foi em ambiente de hostilidade (momento de pós-guerra entre Paraguai e Brasil) que o empreendimento começou a tomar forma, podendo mesmo dizer-se que foi elemento apaziguador e catalisador na obtenção de paz entre os países. Itaipú é por isso chamada de "Itaipú Binacional” dado que é propriedade dos dois estados: brasileiro e paraguaio.

Foi para um desafio desta dimensão que em 2010 a Everlux foi chamada a cooperar de maneira a suprir uma necessidade premente de Itaipú – sinalização de segurança fotoluminescente.

À partida poderia parecer estranho ou até contraditório que a maior unidade geradora de energia do mundo tivesse necessidade de sinalização fotoluminescente! Isto porque se produz energia tem acesso ilimitado a iluminação de emergência, e a custo zero.
No entanto a realidade mostrou que até faz sentido, e muito!
Durante um pequeno incêndio num dos transformadores a óleo, a libertação de fumaça foi de tal maneira intensa que criou uma barreira à passagem da luz em toda a área envolvente, retirando toda a funcionalidade à iluminação de emergência existente. Deixou trabalhadores em ambiente de total escuridão!
Como é sabido, (e já no acidente de 11 de Setembro nas Torres Gêmeas em Nova Iorque, tal também aconteceu), a iluminação de emergência não é visível em situações de libertação de fumaça.

Em situações de propagação de fumaça, só com sinalização fotoluminescente (e específica para instalação ao nível do solo e em ambientes de baixa luminosidade) se pode garantir a visibilidade dos percursos de evacuação e da sinalização das rotas de saída.

Dada a importância da barragem e efetiva necessidade - sentida "na pele” pelos seus colaboradores - foi elaborado um completo e criterioso projeto onde todas as questões e aspetos técnicos relacionados com os produtos foram levantados e exigidos.
Se considerou a especificidade das propriedades fotoluminescentes face aos níveis de iluminação existentes nos túneis e galerias – em especial a sua capacidade de estimulação - , os materiais mais adequados face aos locais de instalação – por vezes áreas úmidas - , os métodos de fixação, bem como as características dos seus usuários – duas nacionalidades e duas línguas - , tendo tudo isto resultado num trabalho extremamente extenso e completo.

A Everlux, que teve o privilégio de ser chamada na fase de análise prévia e na fase de projeto, foi também convidada a participar na fase da aquisição dos materiais, que ocorreu durante o ano de 2012. Por Itaipú ser uma entidade binacional tem legislação específica, não sendo válida apenas a brasileira ou a paraguaia. Isso foi mais um dos fatores que tornaram este projeto único porque não se tratava de cumprir ou estar sujeito à legislação do Brasil mas sim, e adicionalmente, cumprir com as especificações e procedimentos da Itaipú – que note-se são muito mais exigentes que as de muita legislação nacional e internacional. Uma das exigências, por exemplo, era que a empresa vencedora teria que ser brasileira ou paraguaia, embora os produtos pudessem provir de outros países e, várias foram as ofertas.
A Everlux, através de um distribuidor, ficou classificada em segundo lugar perdendo para uma empresa estrangeira representando produtos da américa do norte. Dadas as especificidades técnicas e rigorosas exigências de Itaipú, essa empresa não teve como evidenciar e comprovar o seu completo cumprimento às exigências sendo por isso desclassificada, passando então os produtos Everlux a potencial vencedores.
Usando toda a experiência adquirida mundialmente ao longo mais de duas décadas, e os sólidos conhecimentos técnicos que possui e que são indispensáveis em empreendimentos desta envergadura, a Everlux conseguiu comprovar e documentar o seu pleno e integral cumprimento bem como a qualidade dos produtos Everlux e sua adequação às exigências especificadas. Nessa altura, muito pesou o fato da Everlux possuir certificação de produto – evidenciando ter o seu processo de produção certificado - algo que mesmo ainda não sendo exigido em legislação nacional, é reconhecido como um elemento diferenciador dentro de empresas de referência e dimensão mundial.

Itaipú adquiriu assim no início do ano de 2013 cerca de 3.600 sinais Everlux para sinalização de rotas de saída e equipamentos de combate a incêndio e aproximadamente 8.000 sinais Everlux-LLL (Low Location Lighting) perfazendo um total de quase 8km de perfis e lâminas fotoluminescentes para sinalização ao nível do solo.



Claro que um projeto apenas está concluído após a sua instalação e, também nessa fase, a Everlux esteve sempre presente dando todo o seu aconselhamento técnico, permitindo que em Dezembro de 2013 todos os mais de 11.000 sinais já estivessem instalados atendendo rigorosamente todo o planejamento e prazos exigidos.
Se tratou de um projeto dos mais complexos e exigentes em que a Everlux já participou; desde a fase inicial de aconselhamento técnico até à fase da comercialização e instalação em parceria com o nosso distribuidor.

Itaipú Binacional é, com toda a certeza, a referência mundial não só em termos de geração de energia mas também em organização e no compromisso com a segurança e bem-estar dos seus colaboradores. É seguramente uma obra de referência e motivo de orgulho para a Everlux.
2015-07-15
Questões sobre Plantas de Emergência
O que é uma Planta de Emergência?
2015-07-15
Questões sobre Plantas de Emergência
Questões sobre Plantas de Emergência

O que é uma Planta de Emergência?
A Planta de Emergência é a representação gráfica do plano de emergência.

Para que serve?
Serve para comunicar com todos os usuários da edificação, funcionários e visitantes, sobre as ações e procedimentos a tomar em caso de emergência, indicando as saídas de emergência e localização dos equipamentos de combate a incêndio.

Quem é o usuário?
Há dois tipos de usuário:
1. Qualquer funcionário e visitante da edificação, neste caso a Planta de Emergência tem uma função preventiva (informação antes do incidente);
2. Equipes de intervenção (bombeiros ou brigadas), na organização das evacuações e nas ações de combate ao incêndio e resgate.

Quando utilizar?
A Planta de Emergência deve ser utilizada em todas as edificações que possuam "Plano de Emergência” – sendo sua parte integrante.
Normalmente, por compromisso com a segurança ou por imposição legal, as edificações têm plano de emergência. No entanto, se não estiver acessível a todos os usuários, não cumpre o seu pleno objetivo.

Onde localizar?
Existem três tipos de Plantas de Emergência:
1. Planta de Emergência de Pavimento, localizada nas entradas da edificação (e saídas finais de emergência) e nos acessos dos pavimentos (escadas, rampas e elevadores).
2. Planta de Emergência de Implantação, localizada nas saídas das edificações. Estas Plantas de Emergência indicam a localização dos "Pontos de Encontro” e respectivas rotas já no exterior das edificações.
3. Planta de Emergência de Quarto, localizada na porta dentro dos quartos (regime de hospedagem).

Como deve ser a Planta de Emergência?
As Plantas de Emergência fazem parte do sistema de sinalização de segurança.
Devem conter instruções gerais de segurança, indicação das rotas de saída, localização dos equipamentos de incêndio e alarme, indicação do local onde a Planta de Emergência está afixada ("Você Está Aqui”) bem como uma legenda.

Qual a norma de referência?
A norma nacional que regulamenta toda a sinalização de segurança, incluindo as Plantas de Emergência, é a norma brasileira ABNT NBR13434 (partes 1, 2 e 3). No entanto as Plantas de Emergência são abordadas de uma forma muito superficial e, por isso, sem critérios para a sua execução.
A revisão dessa norma, já concluída e em fase de aprovação, reserva particular destaque para as Plantas de Emergência e refere todos os critérios necessários para a sua elaboração.

Como a Everlux pode ajudar?
Envie-nos os desenhos do projeto de segurança (bombeiro) que faremos o restante.
2015-04-06
A mentira escondida no laudo?

A mentira escondida no laudo

Um laudo garante alguma conformidade? O que é um laudo?

Um laudo é um simples registro de um único ensaio ou teste.

Na área da sinalização qualquer entidade, incluindo o leitor, pode fazer ou mandar fazer um sinal de segurança e mandar testá-lo! O laboratório para onde é enviado esse sinal vai fazer os testes tendo como referencial um procedimento de ensaio, que é o requerente que define. Esse procedimento pode ser válido no Brasil, através de norma brasileira ou norma estrangeira reconhecida no Brasil ou nem sequer ser reconhecido no Brasil e, mesmo assim, ser emitido.

Mais; pode-se produzir um sinal e mandar testá-lo. Qual a garantia de que se conseguirá produzir outro sinal com as mesmas características?

Nenhuma!

Ou pior, se alguém agindo de má-fé, mandar testar um sinal especialmente produzido para o efeito e depois comercializar no mercado sinais de má qualidade, apregoando que tem CERTIFICADO, como se garante a qualidade? Não se garante!

Um laudo não é mais do que uma simples medição de um sinal - NÃO TEM PRAZO DE VALIDADE, tem apenas uma data de ensaio.

Um laudo não garante qualidade, um laudo não é um certificado.

Vem acontecendo no mercado, empresas que se dizem fabricantes de sinalização de segurança, terem um laudo com determinados valores de fotoluminescência (brilho dos sinais), dizerem que são certificadas e depois fabricarem produtos de qualidade muito inferior!

Caro leitor, não se deixe enganar!

Um laudo é habitualmente indício de fraude!

Quando adquirir sinalização de segurança, exija do seu fornecedor um CERTIFICADO de qualidade. Não acredite nos laudos!

O certificado garante que o sistema de fabricação da sinalização está de acordo com um determinado procedimento e que para ser válido tem que ser reconhecido no Brasil. Tem que atender a norma ABNT NBR 13434-3.

O certificado é emitido por uma entidade certificadora, que não é um simples laboratório de ensaios, e é essa entidade que escolhe aleatoriamente os sinais que serão ensaiados. Um certificado tem DATA DE VALIDADE.

Os produtos Everlux e Everlux-LLL estão certificados pela Lloyd’s Register.

next page