2021-09-13
Suporte Flexível para Sinalização Perpendicular à Parede
2021-09-13
Suporte Flexível para Sinalização Perpendicular à Parede

Uma das principais soluções em fixação da sinalização Everlux é a Tipo 2, sinalização de duas faces para aplicação perpendicular à parede. O sinal é apenas visível dos lados e não de frente.

Este sistema de fixação, também conhecido como sinal tipo bandeira, é muito utilizado para a sinalização das rotas de fuga ou identificação de equipamentos de combate à incêndio e alarmes quando instalados em corredores, pois proporciona a melhor visualização das informações nesta condição.



Entretanto, existem alguns corredores onde há um alto fluxo de empilhadeiras e movimentação de cargas, que acabam por esbarrar nos sinais Tipo 2, podendo ocasionar a deterioração dos seus suportes de fixação, danos nas empilhadeiras e até nos motoristas.

Além disso, há corredores que existem grande tráfego de pessoas e que em alguns casos, pode ocasionar a deterioração dos suportes de fixação dos sinais Tipo 2 em função de atos de vandalismo, ou mesmo o furto dos sinais.

Para estas situações deve ser selecionada uma solução adequada para estas exigências. E para suprir esta necessidade, a Everlux desenvolveu o suporte flexível para a sinalização perpendicular.

Imagem do sinal Tipo 2 com o Suporte Flexível


Este suporte possibilita a instalação de sinais do tipo 2 em qualquer local e permite a rotação de 180º (+90º e -90º) sem quebrá-lo.

Há um eixo de rotação flexível com uma elasticidade que permite que, depois de uma rotação, o sinal retorne para a sua posição inicial, por 1.000 vezes.




 

Demonstração da rotação de 180º.


 

Vantagens:

O suporte flexível foi desenvolvido especialmente para a instalação de sinais salientes em áreas de circulação de empilhadeiras e movimentação de cargas como armazéns, supermercados, fábricas, galpões, centros de distribuição, entre outros.

Por ser flexível, ele resiste a choques ou colisões motivadas por máquinas ou ações de vandalismo.



 

Este suporte flexível permite instalar sinais perpendiculares à parede até uma medida máxima de 400mm de largura.

 

Exemplo de aplicação na parede

 

O perfil flexível para instalação em teto pode ser aplicado em sinais com comprimento máximo de 400mm.



 

Exemplo de aplicação no teto


 

Para visualizar mais modelos de sinalização de segurança, acesse o Catálogo Everlux. Nele, você encontrará a linha completa de sinalização de segurança e soluções em fixação.

2021-09-08
Sinalização de Segurança Everlux - A saúde vista com outros olhos
Atuar nos serviços de saúde sempre requer muita atenção, dedicação e qualidade.
2021-09-08
Sinalização de Segurança Everlux - A saúde vista com outros olhos

Atuar nos serviços de saúde sempre requer muita atenção, dedicação e qualidade. Seja na prevenção ou na recuperação de enfermidades, os pacientes buscam encontrar ambientes estruturados e profissionais habilitados para atendê-los com excelência.

Na busca em fornecer os parâmetros de infra-estrutura física e humana, o pensar o design no contexto da medicina relacionado ao conforto visual, é algo novo enquanto conceito de que é possível acolher e organizar serviços, promovendo comodidade dentro do ambiente hospitalar.

O arquiteto e o designer têm aqui um desafio: o poder de modificar um ambiente, trazendo em seu projeto a humanização e a aproximação com o visitante.

Aliado a isso, a necessidade de se promover práticas seguras de trabalho, de proporcionar ambientes livres de riscos e de controlar materiais e equipamentos contra a eventualidade de um início de incêndio, contribuem como princípios para a qualificação dos cuidados e prevenção da segurança em saúde.

Um projeto de sinalização talvez seja uma das melhores oportunidades de casar os vários campos em que o design atua. O ideal, inclusive, é ter a sinalização concebida já com o projeto arquitetônico, em um trabalho conjunto entre o designer, o arquiteto e os profissionais de segurança do empreendimento.

Michel Focault dizia que a arquitetura do hospital deve ser fator e instrumento de cura e por que não com criatividade e conforto?





Sendo eficaz, permite que a pessoa se sinta confortável e segura no ambiente, considerando a premissa de que pacientes e usuários em um hospital, em sua grande maioria, não estão familiarizados com a edificação, com os equipamentos de segurança e com suas saídas.

A Anvisa, através do Manual contra Incêndio em Estabelecimentos Assistenciais de Saúde, prevê e aconselha a integração das premissas de comunicação e a sinalização de segurança como fator essencial de mobilidade para se entender os meios de encaminhamento seguros, seja de forma autônoma ou com auxílio especializado.

Recomenda, ainda, a sinalização de baixa altura e planos de fuga como elementos de melhoria das condições de abandono e resgate da edificação hospitalar, facilitando o fluxo de fuga nas ocorrências de emergência.





Diminuindo os riscos de pânico e zelando por vidas, a Everlux destaca o sistema Everlux-LLL, que regulamentado pelas normas ISO foi especialmente desenvolvido com uma nova geração de produtos fotoluminescentes ultra sensíveis à luz para locais que recebem pouca iluminação ao mesmo tempo em que são necessários que os elementos atuem com alta intensidade luminosa.




Conheça a Everlux em www.everlux.com.br e o portfólio da Sinalização Excellence by Everlux para a sinalização de alto padrão e design e Everlux LLL para o sistema de sinalização de nível inferior.
 
Contate-nos para que possamos oferecer um aconselhamento técnico, elaborar um projeto de sinalização que garanta não só a conformidade com a lei e as normas, mas também a importância do estilo, comodidade e humanização de sua edificação hospitalar.
 
Estaremos à sua disposição pelo e-mail comercial@everlux.com.br ou através do telefone (11) 4035-6262.

Para saber mais informações sobre linhas de produtos e soluções Everlux, acesse os nossos catálogos digitais.
2021-04-13
Batentes de Proteção Everlux
Os batentes de proteção Everlux são equipamentos de prevenção que oferecem amortecimento ao choque, diminuindo os efeitos de uma colisão, garantindo a correta sinalização de obstáculos.
2021-04-13
Batentes de Proteção Everlux
Os batentes de proteção Everlux são equipamentos de prevenção que oferecem amortecimento ao choque, diminuindo os efeitos de uma colisão, garantindo a correta sinalização de obstáculos, assim como previsto na ABNT NBR-16820. Por serem fotoluminescentes, não só minimizam as consequências de um choque, como também os evitam, pois são visíveis mesmo na ausência de luz.

Esta é uma solução apropriada para locais com a possibilidade de choques e impactos, como por exemplo em tetos rebaixados ou esquinas expostas, capaz de causar algum acidente aos usuários, ou mesmo em estacionamentos, onde é muito comum a batida das portas dos veículos em paredes ou colunas.

Eles são compostos por perfil de CR - Borracha de Policloropreno 1, com densidade de 500±50kg/m3 e uma espessura de 16±1.3mm, revestida com material fotoluminescente Everlux.

Além disso, os batentes de segurança Everlux possuem garantia de 03 anos, proporcionando o melhor custo x benefício do mercado.


Dependendo do ângulo das superfícies que serão protegidas, utilizam-se:


Cada batente é fornecido com uma fita adesiva de alta fixação, permitindo uma fixação simples, rápida e eficaz.






Cada batente é fornecido com 2 fitas adesivas de alta fixação (uma em cada face interna), permitindo uma fixação simples, rápida e eficaz.





Os dois batentes também podem ser aplicados em conjunto, de modo a aumentar a área de proteção.









Exemplos de aplicação do batente de proteção



O material apresenta bom comportamento em caso de incêndio, é considerado um produto "Não Inflamável”, sendo classificado como "Classe M1” de acordo com a Norma NF 16101 § 6.

Impressão

Serigráfica, com tintas de elevada qualidade, resistentes aos raios UV.

Limpeza

Produto que não requer cuidados especiais. Basta limpar com um pano seco ou umedecido com água (sem detergentes).

Garantia

Em condições normais de aplicação (em ambiente interior) e limpeza adequada, possui garantia de 3 anos.
A durabilidade e garantia dos batentes Everlux são condicionadas pelo tipo e estado da superfície (material, nível de rugosidade, porosidade, etc.) onde é aplicado o produto, pelas condições de limpeza em que a superfície se encontra (só uma superfície livre de poeiras, gordura e todo o tipo de sujeiras, permitirá uma boa adesão), e pela temperatura de aplicação.
O adesivo utilizado nos batentes é composto por uma trama de poliéster de dupla face impregnado de um adesivo permanente que possibilita uma fixação instantânea.
A temperatura de aplicação dos batentes de segurança Everlux deverá ser superior a +10ºC. Uma vez aplicado à temperatura de aplicação recomendada, possíveis alterações de temperatura são geralmente bem toleradas pelo adesivo (-30ºC a +65ºC), não alterando as propriedades de adesão.
A borracha de policloropreno apresenta boa resistência às intempéries, ao envelhecimento e aos agentes químicos.

Os produtos fotoluminescentes Everlux não contêm substâncias radiativas. Em termos de toxicidade são considerados produtos seguros.

Qualidade e Certificação

A qualidade dos produtos Everlux é garantida por um processo de controle de qualidade rigoroso utilizando métodos de ensaio em laboratório próprio e observando as normas aplicáveis.
Para mais informações sobre os batentes de proteção e segurança Everlux acesse o catálogo digital.
E para quem busca a conveniência para compras em casa ou em Home Office, a Everlux conta com a sua Loja Online com entrega para todo o país.

Para mais informações sobre os batentes de proteção e segurança Everlux acesse o catálogo digital.

E para quem busca a conveniência para compras em casa ou em Home Office, a Everlux conta com a sua Loja Online com entrega para todo o país.


2021-03-02
10 Dicas para a Sinalização de Extintores
Devido a inúmeras dúvidas quanto à correta sinalização de extintores, elaboramos este artigo contendo as 10 dicas para auxílio na sinalização deste importante equipamento de extinção.
2021-03-02
10 Dicas para a Sinalização de Extintores

A sinalização de extintores é obrigatória na área de prevenção contra incêndio. A sua correta instalação é de suma importância, pois garantirá aos usuários maior facilidade para identificação e acesso aos extintores em caso de princípio de incêndio.

Além disso, a correta sinalização auxiliará na aprovação do bombeiro que fará a vistoria na edificação que estiver em processo de solicitação ou renovação do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

Devido a inúmeras dúvidas quanto à correta sinalização dos extintores, elaboramos este artigo contendo as 10 dicas para auxílio na sinalização deste equipamento de extinção.




1-Simbologias e locais indicados para sinalização de extintores

A norma NBR-16820 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) elucida a simbologia apropriada para identificação dos extintores e outra para identificação dos extintores sobre rodas. Ela define esta sinalização como básica ou obrigatória e orienta a sua instalação a uma altura não inferior a 1,80 metros do pavimento acabado, imediatamente acima do extintor.

Símbolo do Extintor de Incêndio

Símbolo do Extintor Sobre Rodas

Exemplo de altura de instalação de sinalização dos extintores

As colunas que estiverem com extintores instalados devem possuir sinais em suas faces visíveis.

Quando não for possível a visualização da sinalização, deve-se utilizar a sinalização perpendicular ou angular. Neste caso, a sinalização deve ser disposta perpendicularmente às paredes dos corredores que integram as rotas de fuga, de modo que possam sempre ser visualizadas frontalmente.



Exemplos de sinalização angular


Além disso, se faz necessária a sinalização de solo utilizada para indicar a sua localização e evitar a sua obstrução.

Ela deve possuir símbolo quadrado na medida de 100cm x 100cm, com a cor de fundo vermelha na medida de 70cm x 70cm e a sua borda amarela com largura de 15cm.

Sinalizador de solo para equipamentos de combate a incêndio




2-Modelos de sinais complementares de extintores

A sinalização indicativa da classe do extintor com as proibições e indicações são instaladas logo acima dos extintores e complementam a sinalização básica.

É possível sinalizar a classe de fogo dos extintores juntamente com espaço para identificação numérica, possibilitando a identificação do registro no Relatório Geral de Serviços (RGS) de numeração e recargas, além de informar a numeração patrimonial.


Sinalização de agentes de extintores


Há também a possibilidade de sinalizar o extintor com a sinalização nível superior, complementado com a identificação do agente de extintor. Esta sinalização deve ser apenas utilizada em locais onde seja instalado a 1,80 metros de altura, pois em altura superior, ele perde a legibilidade da informação do agente de extintor e sua eficácia. Estes sinais não são referenciados na NBR-16820, entretanto são utilizados em alguns dos Estados brasileiros que possuem Instruções Técnicas próprias e não utilizam as normas da ABNT como referência normativa.

 

Sinalização de extintor nível superior complementado com identificação do agente de extintor

Alguns Corpos de Bombeiros de Estados brasileiros possuem simbologias diferentes das simbologias utilizadas na NBR-16820 da ABNT e pela IT-20 (Instrução Técnica No. 20) do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.

Por isso é importante ficar atento à legislação do Corpo de Bombeiros do seu Estado para a escolha exata da simbologia dos extintores para sua região.

 



3-Tamanho adequado para sinalizar os extintores


O sinal do extintor deve possuir um tamanho proporcional à sua distância máxima de observação.

Por isso, o seu tamanho pode variar de acordo com a distância de visibilidade da localização onde será instalado, como visualizamos no exemplo abaixo:


Para dimensionar o tamanho exato da sinalização em função à sua distância de visualização, a NBR-16820 da ABNT apresenta as seguintes fórmulas:






4- Fixações utilizadas para sinalização de extintores

 A solução correta utilizada para fixação da placa do extintor proporcionará maior eficiência em sua visualização e consequentemente maior agilidade na utilização do equipamento.

Por isso é importante analisar qual tipo de fixação será utilizada para cada local onde houver um extintor instalado.

Conheça os tipos de fixação disponíveis:

  • ·Fixação Paralela à Parede

A sinalização possui apenas uma face para aplicação paralela à parede. O sinal é visível apenas de frente. No momento da instalação e tamanho da placa, considera-se sempre a área de visibilidade frontal de 90º.



  • ·Fixação Perpendicular à Parede

A sinalização perpendicular à parede trata da sinalização de duas faces para aplicação de forma perpendicular à parede. O sinal do extintor é visível apenas dos lados e não de frente. Esta solução é recomendada para instalação em extintores instalados nos corredores.



  • ·Fixação Suspensa de Teto

A sinalização suspensa de teto possui duas faces para aplicação. Os sinais são fornecidos com 2 furos para aplicação de cabos ou correntes de suspensão. Esta solução é recomendada para instalações em ambientes onde não possuem paredes para fixação como em corredores de indústrias ou no centro de galpões e centros de distribuição, por exemplo.

  • ·Fixação Panorâmica ou Angular

De acordo com a ABNT NBR-16820, a sinalização panorâmica ou também chamada de angular, possui duas faces que garantem uma visualização de 180º. O sinal é visível de frente e dos lados e é recomendado para sinalização de extintores instalados em corredores e em colunas.



O tamanho dos sinais panorâmicos para instalar em pilares deve ser selecionado em função da largura da abertura do pilar. Um pilar com uma largura de 300mm necessitará de um sinal de 200x200mm (largura de cada uma das faces do sinal), por exemplo.





 

5- Resistência à propagação de chamas como requisito de desempenho da sinalização de emergência

A norma NBR16820 da ABNT, utilizada como referência pela maioria dos Corpos de Bombeiros dos Estados brasileiros, enfatiza a necessidade da característica auto estinguível da sinalização de emergência.

Em contato com o fogo, a sinalização pega fogo. No entanto, ao retirar o agente de fogo em contato direto com a placa, ela deve parar de propagar chamas de forma instantânea.

Este é um requisito muito importante para a sinalização dos extintores, pois são encontradas no mercado muitas placas confeccionadas em materiais não adequados como é o caso do papel, por exemplo, que visivelmente estão em desacordo com esta exigência normativa.

Há outros modelos de placas que são produzidas em poliestireno não resistente ao fogo (conhecido como P.S.) e que não possuem esta característica de desempenho. Neste caso, em contato com o fogo, as placas começam a gotejar o seu substrato com fogo (igual há um saco plástico pegando fogo), sendo altamente perigoso para o aumento da propagação de chamas em caso de um princípio de incêndio.

 


 

6- Resistências necessárias para a sinalização de emergência

A norma NBR-16820 da ABNT também enfatiza a necessidade de outras resistências que compõe a sinalização de emergência como: Resistência a limpeza conforme ensaio estabelecido na NBR ISO 105-X12, resistência à névoa salina conforme ISO 9227, e resistência ao intemperismo conforme ensaio estabelecido na ISO 16474-2.

Em resumo, a sinalização de emergência deve ser composta por uma série de resistências, o que a difere 100% de uma simples comunicação visual.




7- Fotoluminescência na sinalização de extintores

Segundo a norma NBR-16820, assim como a IT-20 do Corpo de Bombeiro do Estado de SP e das instruções técnicas da maioria dos Estados brasileiros, a sinalização indicativa do extintor deve possuir o efeito fotoluminescente.

Ela deve ser capaz de absorver e armazenar os fótons quando em contato com a iluminação natural ou artificial para liberá-los em formato de brilho no momento de ausência da luz.

Esta característica é fundamental para a sinalização de emergência, pois a energia elétrica é cortada em caso de princípio de incêndio e a sinalização deve brilhar no escuro, continuando a exibir a sua mensagem de segurança.

Portanto, é de suma importância verificar no momento da escolha da sinalização do extintor se ela possui a fotoluminescência necessária.




 

8- Verificação da eficiência fotoluminescente

A sinalização do extintor não basta apenas possuir o efeito fotoluminescente. De acordo com a norma NBR-16820 da ABNT, a sinalização deve possuir as seguintes características fotoluminescentes:

Os sinais fotoluminescentes em nível superior devem apresentar a luminância mínima de 140mcd/m2 (milicandelas por metro quadrado) em intensidade luminosa após 10 minutos no escuro. Após 1 hora no escuro, os sinais devem apresentar a luminância mínima de 20 mcd/m2 de intensidade luminosa. Além disso, a sinalização fotoluminescente deve brilhar no escuro contínuo por no mínimo 1.800 minutos (equivalente a 30 horas).



 

9-Marcação rotulagem e embalagem da sinalização de emergência

Segundo NBR-16820, todos os elementos de sinalização devem ser identificados na sinalização, de forma legível, na face exposta, juntamente com a identificação do fabricante, podendo ser o nome ou o número do CNPJ ou a marca registrada do fabricante.

A sinalização que não possuir estas informações está em desacordo com os padrões normativos. 


 



 

10- Exigência da certificação

No momento de sinalizar os extintores é necessária muita atenção, pois são facilmente encontradas no mercado placas totalmente em desacordo com as exigências previstas em norma e nas IT dos diferentes estados.

A falta de conhecimento técnico e do material apropriado pode acarretar em uma série de problemas, tanto para o fornecedor que comercializa placas falsificadas, compostas por materiais inadequados, quanto para os consumidores que, ao optar pela aquisição de placas simplesmente em função do preço baixo, acabam se arriscando ao adquirir placas que podem não atender aos critérios de segurança, colocando em risco a sua vida e a dos usuários da edificação.

Por isso a importância da escolha de um fabricante que possua certificação de qualidade do produto ao invés de um simples laudo técnico e que proporcione uma garantia condizente com o período pelo qual o usuário não gostaria de fazer a recompra do material.

Um laudo de ensaio não é mais do que o resultado de uma simples medição de uma placa, e por si só não garante a qualidade. Já a certificação, é emitida por uma entidade certificadora reconhecida, sob um procedimento de certificação que baseia em evidências do atendimento dos requisitos aplicáveis. A certificação de produto é assim a melhor garantia de que a sinalização atende aos requisitos aplicáveis e que é produzida segundo um controlado e avaliado processo de fabricação.



 

Sobre a Everlux

A Everlux é uma indústria fabricante de sinalização de segurança, possui certificação da Lloyd’s Register, certificadora inglesa, reconhecida e aceita nos mais de 80 países onde a empresa possui operações.

Além disso, a sinalização de extintores da Everlux possui garantia de 05 anos.

Para saber mais informações sobre os modelos de sinalização de extintores e demais modelos de sinalização de segurança, acesse o catálogo virtual.

E para quem busca a conveniência para compras em casa ou em Home Office, a Everlux conta com a sua Loja Online com entrega para todo o país.

2021-01-26
10 Dicas para Implantação da Sinalização de Emergência
A sinalização de emergência é uma das principais medidas de proteção passiva contra incêndio e por isso foi elaborada as 10 dicas relevantes para auxílio no momento da sua implantação.
2021-01-26
10 Dicas para Implantação da Sinalização de Emergência

 

A sinalização de emergência é uma das principais medidas de proteção passiva contra incêndio em edificações.

A sua correta implantação auxiliará para que o local consumido pelas chamas seja evacuado e a ação do Corpo de Bombeiros iniciada.

Pensando nisso, serão apresentadas 10 dicas relevantes para auxílio no momento da implantação da sinalização de emergência.



1. O que é a sinalização de emergência


Antes do início do processo de implantação da sinalização de emergência, recomenda-se que o profissional da área conheça o seu conceito para auxiliá-lo durante o processo de tomada de decisão com relação aos materiais e sinais apropriados para a edificação, escolha de fornecedores, entre outros; para a decisão sobre a escolha das soluções de sinalização mais adequadas à edificação em questão.

Sinalização de emergência é o conjunto de sinais com características próprias, que foi criado para reduzir o nível de risco de incêndio, o risco de acidentes provocados por perigos existentes e para diminuir o tempo de atendimento dos primeiros socorros ou o tempo de intervenção em caso de incêndio ou de outro sinistro. A sinalização de emergência alerta os usuários quanto aos riscos existentes nos locais estratégicos, garantindo a possibilidade de que sejam adotadas ações adequadas às situações de risco, que orientem as ações de combate e facilitem a localização dos equipamentos e das rotas de saída para o abandono seguro da edificação em caso de incêndio.


Sinalização de emergência instalada



2. Onde utilizar a sinalização de emergência


Os vários modelos de sinais que compõe a sinalização de emergência devem ser implantados de acordo com as características de uso e dos riscos, assim como em função das necessidades básicas para a garantia da segurança contra incêndio na edificação.

A sinalização básica, que é a sinalização mínima necessária, deve estar presente nas edificações onde são obrigatórias por força de norma ou lei, saídas de emergência para uso coletivo e instalação de equipamentos e sistemas de proteção contra incêndio.



3. Classificação da sinalização de emergência


A sinalização de emergência é classificada entre sinalização básica, que é o mínimo de sinalização exigido nas edificações; e a sinalização complementar, que no segundo caso, complementa a sinalização básica em situações específicas.


Sinalização básica

A sinalização básica trata do que é necessário para estar em conformidade com a legislação. São sinais que visam à segurança dos usuários do espaço, com símbolos específicos, cores, formas e letras padronizadas. Ela é composta por 4 categorias:

1-Proibição

Utiliza forma geométrica circular com barra na diagonal na cor vermelha, com pictograma na cor preta e fundo branco. O uso da cor vermelha é obrigatório para transmitir a mensagem de que é estritamente proibido realizar aquela ação.



2-Alerta

Forma geométrica triangular na cor preta com fundo amarelo. Esta sinalização alerta ao usuário sobre áreas e materiais com potenciais riscos no local.



3-Orientação e Salvamento

Os sinais de orientação e salvamento possuem formato retangular. A cor verde determina a direção das rotas de saída de emergência e a sinalização visa indicar as rotas de fuga assim como as ações necessárias para seu acesso e uso.




4-Identificação de Equipamentos

A cor vermelha e o formato quadrado ou retangular servem para chamar atenção do usuário quanto à localização e os tipos de equipamentos de combate a incêndios e alarmes disponíveis.



 

Sinalização complementar

Existem algumas especificidades em edificações e condições dos espaços que se fazem necessário a utilização da sinalização complementar.

Elas são recomendadas quando é necessário fornecer informações que permitem uma melhor compreensão da sinalização básica, como por exemplo, em edificações com determinadas particularidades, ou quando a atividade existente exige, ou quando os usuários não possuem conhecimentos aprofundados dos procedimentos de segurança.

 
Finalidade da sinalização complementar


Para auxiliar a compreensão do usuário, a sinalização complementar tem como finalidade complementar a sinalização básica, através de conjunto de faixas de cor e mensagens escritas nas seguintes situações:

 

      • Orientação do trajeto completo até uma saída de emergência através da indicação continuada de rotas de saída;





      • Indicação de obstáculos (como pilares, desníveis de piso, materiais translúcidos, entre outros) e riscos de utilização das rotas de saída;


              



        Para ambientes internos ou externos, com iluminação natural, deve ser utilizada a faixa amarela e preta, conforme figuras abaixo:



        Para locais com a iluminação artificial, deve ser utilizada a faixa fotoluminescente e vermelha, conforme figuras abaixo:
                                   

      • Sinalização de agente extintor

        Sinalização de agente extintor para instalação em nível intermediário e separada da sinalização de extintor nível superior.



        Sinalização de agente extintor


      • Mensagens escritas que complementam o símbolo da sinalização básica, quando necessário;

      • Indicação de medidas de proteção contra incêndio, conhecida pelo código M1.



      • Indicação de lotação máxima para locais destinados a reunião de público, conhecida pelo código M2.


      • Plano de fuga.

        O plano de fuga deve conter apenas as principais informações para auxílio quanto ao abandono do local.


                                                      Exemplo de Plano de Fuga


4. Dimensões e distâncias de observação da sinalização


A dimensão dos sinais é definida pela distância máxima a qual devem ser visualizados. Devem possuir dimensões adequadas às características das instalações onde serão instalados.

Os exemplos a seguir indicam as distâncias de observação dos sinais em função de suas dimensões, segundo as fórmulas mencionadas na norma brasileira ABNT NBR 16820 que entrou em vigência no mês de setembro de 2020, em substituição da NBR-13434 partes 1, 2 e 3.




Exemplo de dimensionamento da sinalização em função da distância de observação



5. O que é a sinalização de emergência


Os tipos de fixação disponíveis para a sinalização de emergência possuem variáveis que seguem e auxiliam as normas técnicas e solucionam as necessidades e peculiaridades encontradas nas edificações para melhor visualização dos sinais. Seguem as soluções em fixação:

· Paralela à Parede


A sinalização possui apenas uma face para aplicação paralela à parede. O sinal é visível apenas de frente. No momento da instalação da placa, considera-se sempre a área de visibilidade de 90 ᵒ.

 


· Perpendicular à Parede


A sinalização perpendicular à parede trata da sinalização de duas faces para aplicação de forma perpendicular à parede. O sinal é visível apenas dos lados e não de frente. Esta solução é ideal para instalação em corredores.




· Suspensa de Teto


A sinalização suspensa de teto possui duas faces para aplicação. Os sinais são fornecidos com 2 furos para aplicação de cabos ou correntes de suspensão. Esta solução é recomendada para instalações em ambientes que não possuem paredes para fixação.




· Panorâmica ou Angular


A sinalização panorâmica ou também chamada de angular, entre todos os modelos, possui duas faces que garantem uma visualização de 180º. O sinal é visível de frente e dos lados.



6. Requisitos de desempenho da sinalização


Atualmente alguns sinais são encontrados facilmente em diversos tipos de estabelecimentos comerciais, mas o que poucos sabem é que esse tipo de material pode estar fora das normas estipuladas pelo Corpo de Bombeiros e ABNT. A falta de conhecimento das normas e do material correto pode acarretar em uma série de malefícios, tanto para o fornecedor que comercializa essas placas, composto por material inadequado, quanto para o usuário que, ao optar por uma sinalização de preço inferior, acaba se arriscando ao adquirir um material que pode ser inútil ou até mesmo nocivo para a saúde e segurança dos usuários.

Os materiais utilizados na composição da sinalização de emergência devem atender características como:

· Dispor de resistência mecânica;

· Possuir espessura suficiente para que não sejam transferidas para a superfície da placa possíveis irregularidades das superfícies onde for aplicadas;

· Não propagação de chamas;

· Resistir a agentes químicos e limpeza;

· Suportar água e

· Resistir ao intemperismo.

Em relação a pintura dos sinais e películas, as tintas devem ser atóxicas e não radioativas, atendendo às propriedades colorimétricas, e possuir resistência mecânica.



7. Fotoluminescência na sinalização de emergência


Em casos de incêndio, uma das primeiras medidas a serem tomadas para segurança dos usuários é o desligamento da energia elétrica. Isso significa que em um ambiente fechado, é necessário ter sinais visíveis que indiquem a saída do local. Justamente por esse motivo, a norma da ABNT NBR-16820 determina que boa parte da sinalização necessita ser de material fotoluminescente.




Sinalização Fotoluminescente


O que é fotoluminescência?

Determinados elementos possuem a propriedade fotoluminescente, ou seja, eles conseguem emitir radiação luminosa após serem submetidos a uma fonte de excitação externa. Quando expostas a fontes de luz, seja natural ou artificial, armazenam energia. Quando há ausência de luz, eles liberam toda a energia que foi acumulada em luz visível, possibilitando enxergar a sinalização no escuro.

Em casos de risco de incêndio, assim que se inicia o procedimento de emergência e a energia elétrica é desligada, as placas fotoluminescentes irão exibir a mensagem de segurança. E por esse motivo existem requisitos de desempenho afim de garantir as boas condições de visualização:

A NBR 16280 define luminância mínima das placas fotoluminescentes para os primeiros 10 minutos após ausência da iluminação, para os 60 minutos e ainda o tempo em minutos ao qual a sinalização deve ser visível ao olho humano. Os primeiros 10 minutos é o tempo estimado para o abandono do local e os 60 minutos o tempo necessário para auxiliar a equipe de resgate e bombeiros na identificação dos equipamentos de combate e alarmes, assim como no auxílio na localização de vítimas. A autonomia é o tempo pelo qual decorrerão as operações para auxílio na identificação de sobreviventes e corpos próximos das sinalizações em caso de sinistros com vítimas.

Assim, NBR 16280 estabelece que após uma estimulação de 1.000 lux, durante 5 minutos, as placas de sinalização devem apresentar após 10 minutos no escuro, o mínimo de 140mcd/m² (milicandelas por metro quadrado) em intensidade luminosa, e após 1 hora (60 minutos) no escuro, os sinais devem apresentar o mínimo de 20 mcd/m² de intensidade luminosa. Além disso, a sinalização fotoluminescente deve brilhar no escuro contínuo por no mínimo 1.800 minutos (30 horas).

Para sinalização de nível inferior, a norma define outros critérios que levam em consideração as condições de menor iluminação, tipicamente existentes junto aos pavimentos, fazendo necessário que nesses locais a sinalização tenha capacidade de armazenar energia, mesmo quando os ambientes disponham de níveis mais baixos de 25 lux. Assim, de acordo com a NBR 16280, quando as placas são sugeitas a 25 lux durante 15 minutos, após 10 minutos no escuro, elas devem atender ao mínimo de 30 mcd/m² (milicandelas por metro quadrado) em intensidade luminosa, após 1 hora (60 minutos) no escuro, as placas devem apresentar o mínimo de 7 mcd/m² de intensidade luminosa e após 1,5 horas (90 minutos) no escuro, as placas devem apresentar o mínimo de 5 mcd/ de intensidade luminosa.

Se os materiais utilizados para a fabricação das placas não seguirem essas normativas, a sinalização será inútil em ambiente escuro, podendo causar a morte ou ferimento de pessoas, além do aumento de chances da deterioração do patrimônio consumido pelas chamas.



8. Marcação rotulagem e embalagem da sinalização



Segundo NBR-16820, todos os elementos de sinalização devem ser identificados na sinalização, de forma legível, na face exposta, juntamente com a identificação do fabricante, podendo ser o nome ou o número do CNPJ ou a marca registrada do fabricante.

A sinalização que não possuir estas informações estará em desacordo com os padrões normativos.





No momento da implantação da sinalização de emergência é necessária muita atenção, pois são facilmente encontradas no mercado placas totalmente em desacordo com as exigências previstas em norma.

A falta de conhecimento técnico e do material apropriado pode acarretar uma série de problemas, tanto para o fornecedor que comercializa placas falsificadas, compostas por materiais inadequados, quanto para os consumidores que, ao optar pela aquisição de placas simplesmente em função do preço baixo, acabam se arriscando ao adquirir placas que podem não atender aos critérios de segurança, colocando em risco a sua vida e a dos usuários da edificação.

Por este motivo é de suma importância que o profissional decida pela escolha de um fabricante que proporcione uma certificação de qualidade ao invés de um simples laudo técnico e que ofereça uma garantia proporcional com o período pelo qual o usuário esteja disposto para não sofrer com inconvenientes de recompras de material.

Um laudo de ensaio não é mais do que o resultado de uma simples medição de uma placa e por si só não garante a qualidade. Já a certificação, é emitida por uma entidade certificadora reconhecida, sob um procedimento de certificação que se apoia em evidências do atendimento dos requisitos aplicáveis. A certificação de produto é a melhor garantia de que a sinalização esteja em conformidade com os requisitos aplicáveis e que é produzida segundo um processo de fabricação controlado e avaliado.



A escolha dos modelos dos sinais que serão utilizados para a sinalização da edificação é extremamente importante, pois a escolha correta proporcionará o correto funcionamento do sistema de sinalização de emergência.


Exemplos de modelos que compõe o sistema de sinalização de emergência


O profissional poderá visualizar diversos os símbolos e modelos que compõe a sinalização de segurança através do Catálogo da Everlux, assim como as recomendações referente às alturas de instalação.

As 10 dicas apresentadas proporcionarão mais embasamento para a implantação da sinalização de emergência de maneira mais correta e de forma mais eficiente.

E para quem busca a conveniência para compras em casa ou em Home Office, a Everlux conta com a sua Loja Online com entrega para todo o país.


Fontes: NBR-16820:2020 da ABNT e IT-20 do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.



Confira também:


 

next page